Sonetos – Poemas de Amor cover

Sonetos – Poemas de Amor

Luis Vaz de Camões (1524-1580)

00:00(1/43) 001 – Enquanto quis Fortuna que tivesse00:00
80
x1
1. 001 – Enquanto quis Fortuna que tivesse
2. 003 – Busque Amor novas artes, novo engenho
3. 004 – Tanto de meu estado me acho incerto
4. 007 – O fogo que na branda cera ardia
5. 008 – Pede o desejo, Dama, que vos veja
6. 012 – Vossos olhos, Senhora, que competem
7. 014 – Esta o lascivo e doce passarinho
8. 016 – Se as penas com que Amor tao mal me trata
9. 017 – Quem ve, Senhora, claro e manifesto
10. 020 – Transforma se o amador na cousa amada
11. 021 – Passo por meus trabalhos tao isento
12. 027 – Porque quereis, Senhora, que ofereca
13. 032 – Vos que, dolhos suaves e serenos
14. 034 – Se pena por amar vos se merece
15. 036 – Presenca bela, angelica figura
16. 039 – O culto divinal se celebrava
17. 040 – Senhora minha, se a Fortuna imiga
18. 041 – Aquela fera humana que enriquece
19. 042 – Amor, que o gesto humano nalma escreve
20. 043 – Como quando do mar tempestuoso
21. 045 – Leda serenidade deleitosa
22. 047 – Oh! quao caro me custa o entender te
23. 053 – Se tanta pena tenho merecida
24. 057 – De vos me aparto, oh vida! Em tal mudanca
25. 058 – A Morte, que da vida o no desata
26. 066 – Fiou se o coracao, de muito isento
27. 071 – Como fizeste, Porcia, tal ferida?
28. 083 – Amor, co a esperanca ja perdida
29. 086 – Cara minha inimiga, em cuja mao
30. 087 – Foi ja num tempo doce cousa amar
31. 089 – Pois meus olhos nao cansam de chorar
32. 091 – Fermosos olhos que na idade nossa
33. 094 – Despois que quis Amor que eu so passasse
34. 096 – Bem sei, Amor, que e certo o que receio
35. 099 – No tempo que de Amor viver soia
36. 117 – Quando cuido no tempo que, contente
37. 119 – Senhora ja destalma, perdoai
38. 125 – Este amor que vos tenho, limpo e puro
39. 135 – Quando se vir com agua o fogo arder
40. 139 – Quando, Senhora, quis Amor que amasse
41. 143 – Sempre, cruel Senhora, receei
42. 145 – Vencido esta de amor meu pensamento
43. 159 – Chorai, Ninfas, os fados poderosos

(*) Your listen progress will be continuously saved. Just bookmark and come back to this page and continue where you left off.

Genres

Summary

Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 10 de Junho de 1580) é frequentemente considerado como o maior poeta de língua portuguesa e dos maiores da Humanidade. O seu gênio é comparável ao de Virgílio, Dante, Cervantes ou Shakespeare. A obra lírica de Camões foi publicada como “Rimas”, não havendo acordo entre os diferentes editores quanto ao número de sonetos escritos pelo poeta e quanto à autoria de algumas das peças líricas. Alguns dos seus sonetos, como o conhecido “Amor é fogo que arde sem se ver”, pela ousada utilização dos paradoxos, prenunciam o Barroco. Nesta coleção, apresentamos uma recolha de Sonetos de Camões cujo tema é o amor. (Sumário adaptado da Wikipedia por Leni)